Atendimento Online
Disponível de Segunda a Sexta das 8 às 18hs
Sábado das 8 às 12hs
(Horário de Brasília)
Consórcio de Imóveis Gazin 54 Consórcio Nacional Gazin 25
Consórcio de Imóveis Gazin
Sim, o consórcio lhe dá a possibilidade de adquirir mais de uma carta de crédito, mediante análise prévia, no entanto, se for para aquisição de um único bem, as cotas devem ser do mesmo grupo.
Sim, há uma atualização anual de crédito e proporcionalmente, para que a capacidade de compra do consorciado não se reduzido.
É corrigido pelo INCC (Índice Nacional dos Custos da Construção). É corrigido a cada período de 12 meses a contar da data de constituição do grupo.
Sim, o consorciado poderá antecipar o pagamento do saldo devedor na ordem inversa a
contar da última.
Os lances deverão ser ofertados em percentuais sobre o valor do crédito somado as devidas taxas.
É considerado vencedor do lance a cota que ofertar maior PERCENTUAL de amortização, condicionado ao saldo do grupo.
Lance Diluído é utilizado no momento da contemplação para redução do valor da parcela não implicando no prazo de pagamento.
Entrar em contato com o vendedor, lojas Gazin, representantes ou com o Consórcio Gazin para receber orientações sobre a documentação necessária para liberação do crédito.
A carta de crédito é disponibilizada posterior a contemplação para fins de aquisição do bem e emitida após a aprovação da documentação prevista no regulamento e apresentação da garantia.
O imóvel pode ser novo ou usado, localizado dentro do território nacional, desde que tenha habite-se e seja urbanizado. Haverá uma avaliação por uma empresa contratada pelo Consórcio Nacional Gazin.
Até o fim do plano do consorcio, desde que o mesmo mantenha em dia suas parcelas.
O crédito é liberado de acordo com o cronograma físico financeiro da obra, apresentado pelo engenheiro da obra, avaliado e aprovado pela administradora.
O imóvel pode ser novo ou usado, localizado dentro do território nacional, desde que tenha habite-se e seja urbanizado. Haverá uma avaliação por uma empresa contratada pelo Consórcio Nacional Gazin.
Sim, desde que o terreno seja associado a esta construção e valor remanescente da carta de crédito do consórcio seja compatível para a construção/reforma total do imóvel.
No consórcio de imóvel, o cônjuge/companheiro(a) faz parte integrante de contrato. Portanto, o mesmo não pode tipo de restrição ou impedimento para a aquisição o imóvel.
Não, a aquisição obrigatoriamente se dará através de escritura pública ou instrumento particular com força de escritura pública emitido pela Administradora, sendo necessária a apresentação da matrícula atualizada comprovando que o imóvel está registrado em nome do vendedor.
Sim, desde que os imóveis estejam em condições de alienação e que possam ser
alienados.
Sim, desde que o imóvel tenha condições de alienação e seja considerado um imóvel
urbano.
Sim, desde que o imóvel seja de valor igual ou maior que a soma das duas cartas de
crédito.
Por ser uma escolha do cliente qual imóvel (tamanho, localidade, etc.) a adquirir, as
taxas variam de acordo com tal escolha e região. Além de taxas sobre documentações
pessoais que o mesmo precisará para andamento do processo de aquisição, sendo elas:
a) Emissão de Certidões;
b) Taxa de Análise do cadastro;
c) Taxa de Vistoria e Avaliação (Empresas Especializadas);
d) Taxa de ITBI (cobrado pela Prefeitura);
e) Taxa de Escritura Pública (cobrado pelo tabelião de Notas (Varia por região);
f) Taxa de Registro no Cartório e Imóvel;
g) Taxa de utilização do FGTS quando for o caso (Cobrado pelo Agente Financeiro).
Dentre estes, podem existir demais taxas voltadas ao imóvel, sendo que estas, são de
responsabilidade do consorciado, conforme cláusulas contratuais.
Todas despesas incorridas sobre o imóvel são de responsabilidade do consorciado,
conforme cláusulas contratuais. Pode o consorciado utilizar 10% do valor de sua carta
de crédito para custear as despesas de documentações com o imóvel em garantia, desde
que comprovada as documentações.
A escolha e negociação do imóvel são de responsabilidades do consorciado.
A matrícula atualizada do imóvel deve ser solicitada no cartório de registro de imóveis
competente, ou através do site www.cartorio24horas.com.br.
A baixa da garantia será realizada através do Termo de Quitação elaborado pela
Administradora juntamente com o Extrato quitado da Cota.
O Consorciado deverá dar entrada no cartório de imóveis com a documentação
mencionada e solicitar a baixa da alienação.
É do consorciado o dever de providenciar a baixa junto ao cartório.
São 4 possibilidades, sendo elas:
1ª. Pode o consorciado utilizar 100% do FGTS para ofertar de lance;
2ª. Pode o consorciado utilizar 100% do FGTS como complementação da carta de
crédito de consórcio;
3ª. Para pagamento parcial (80% do valor da parcela nos 12 meses subsequentes) das
prestações;
4ª. Amortização ou liquidação total da dívida;
Em todas possibilidades acima apontadas, deve-se o consorciado respeitar as normas da
Caixa Econômica Federal.
O FGTS pode ser utilizado por trabalhadores que:
a) Não sejam proprietários de imóveis residenciais financiados pelo SFH (Sistema
Financeiro da Habitação) em qualquer parte do território nacional;
b) Não sejam proprietários de imóvel residencial concluído ou em construção no
atual município de residência, no município onde exerça sua ocupação principal ou nos
municípios vizinhos.
Não. O imóvel já deve ter sido adquirido pelo titular do consorcio através de Carta de
Crédito de Consórcio.
O adquirente deverá comprovar o tempo mínimo de 3 (três) anos de trabalho sob o
regime do FGTS. A comprovação será feita pelos dados constantes no extrato da conta
vinculada, quando este for suficiente, ou na Carteira de Trabalho.
Para cômputo desse tempo, é considerada a soma de todos os períodos, consecutivos ou
não, trabalhados sob o regime do FGTS, em uma ou mais empresas. Tratando-se de
trabalhador avulso, a efetiva prestação de serviços é considerada de acordo com
declaração fornecida pelo sindicato da respectiva categoria profissional.
O lance ofertado será proveniente de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de
Serviço (FGTS) desde que o consorciado se enquadre nas normas estabelecidas pela
Curadoria da Caixa Econômica Federal e de acordo com o contrato de adesão.
a) Fica o CONSORCIADO neste critério, responsável por observar, anteriormente à
oferta do lance, seu enquadramento nas normas da Caixa Econômica Federal e após
contemplação, se for o caso, pelos trâmites para operação deste processo.
b) Os valores provenientes de lance, através do FGTS, serão descontados do crédito,
sendo o referido valor complementado no processo de aquisição do bem objeto deste
contrato, de acordo com as normas da Caixa Econômica Federal e será depositado
diretamente pela instituição ao vendedor do bem.
Não. É vedada a cessão do contrato (transferência) de CONSORCIADOS
CONTEMPLADOS por lance com utilização de recursos do FGTS que ainda não
adquiram o bem.
Não. Ao CONSORCIADO CONTEMPLADO por lance com utilização de recursos do
FGTS é vedado o pagamento do crédito em espécie, sendo obrigatória a aquisição de
bem
Sim, desde que respeite os critérios e normas estabelecidos pela Caixa Econômica
Federal.
Não, o FGTS somente pode ser utilizado quando o imóvel não tenha sido adquirido
através do SFH (Sistema Financeiro da Habitação).
Não existe um prazo determinado. Sendo necessário que o consorciado assim como o
bem pretendido se enquadre nas regras para utilização do FGTS estipuladas pela Caixa
Econômica Federal.
Sim, desde que o mesmo se atente as possíveis consequências abaixo:
a) Considerar que as cotas podem ser contempladas em datas (meses) diferentes;
b) Bem e consorciado deverão estar de acordo com os requisitos para utilização do
FGTS;
c) Caso não se enquadre a contemplação deverá ser cancelada;
Sim, desde que o cônjuge/companheiro(a) figure como parte no contrato de consórcio.
R: Deverá ser observado o regime de casamento, a saber:
Comunhão parcial de bens – o imóvel só pertence ao casal se adquirido na vigência do
casamento.
Universal de bens – o imóvel pertence ao casal, mesmo se adquirido antes do
casamento.
Separação de bens – o imóvel pertence apenas ao que detêm a propriedade, mesmo que
adquirido na vigência do casamento, salvo se ambos compraram em conjunto.
R: Sim, porém somente será elegível a utilização do FGTS, o cônjuge que não for
proprietário de imóvel.
R: Se o imóvel foi adquirido pelo casal na vigência do casamento, mas a cota está só em
nome de um dos cônjuges, a Administradora deverá fazer a inclusão do outro, para que
possa fazer uso da conta vinculada do FGTS.
Sim, desde que o imóvel seja para fins residenciais, e que o consorciado tenha perdido
direito de residir no imóvel de sua propriedade em virtude de separação Judicial, poderá
utilizar o FGTS para aquisição de outro imóvel, mediante apresentação do formal de
partilha (onde conste a perda do direito), expedido pelo Juízo competente.
Sim, desde que imóvel recebido por doação ou herança esteja gravado com cláusula de
usufruto vitalício em favor de terceiros.
R: Somente após decorridos, no mínimo, 3 (três) anos, contados da data da última
negociação realizada ou da liberação da última parcela para construção.
Sim, desde que o primeiro imóvel não tenha sido adquirido através do SFH (Sistema
Financeiro da Habitação), e desde que o consorciado não seja proprietário de imóvel
residencial concluído ou em construção no atual município de sua residência ou onde
exerça sua ocupação principal e região, sempre respeitando as normas da Caixa
Econômica Federal.
R: Sim, após o término da utilização anterior, ou seja, a cada 12 meses o consorciado
pode utilizar o FGTS para amortização de 80% de suas parcelas.
R: Sim, desde que comprovada a inexistência de edificação, através da apresentação do
carnê do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e matrícula atualizada do imóvel.
R: Não, essa modalidade não é aceita pelos critérios da Caixa Econômica Federal.
R: Não, o FGTS só pode ser utilizado para aquisição de imóveis residenciais que
possuam habite-se, desde que se enquadre nas regras do SFH (Sistema Financeiro da Habitação).
R: Sim, desde que os contratos tenham sido utilizados para aquisição de um único
imóvel residencial.
Não, o FGTS somente pode ser utilizado para amortização do valor das parcelas e para
quitação total ou parcial (consorciado utilizando recursos próprios para quitação) do
saldo devedor.
R: O recurso será liberado de acordo com o percentual pertencente a cada um dos
vendedores, conforme descrito na matricula do imóvel.
R: A procuração será submetida à análise do departamento jurídico, para checagem dos
poderes outorgados ao procurador.
R: O processo de saque do FGTS é estruturado em 5 etapas:
1. Entrega da documentação;
2. Análise jurídica e avaliação do imóvel (nos casos de aquisições);
3. Análise de enquadramento do FGTS;
4. Bloqueio do FGTS junto à CEF;
5. Assinatura do contrato e formalização/Liberação de recursos ao consórcio.
Será liberado mediante a apresentação da Escritura/Instrumento, devidamente registrado
no Cartório de Registro de Imóveis competente, estando a mesma em conformidade
com a operação, o recurso será liberado em até 72 horas.
a) Aquisição/construção de imóvel comercial;
b) Reforma, ampliação e/ou melhoria de imóvel residencial ou comercial;
c) Realização de infraestrutura interna;
d) Aquisição de lotes/terrenos;
e) Aquisição de moradia para familiares, dependentes ou terceiros.
f) Utilização do FGTS para aquisição do mesmo imóvel em prazo inferior a 3 anos
completos, desde a última utilização para aquisição/construção;
g) Nova utilização para amortização/liquidação em prazo inferior a 2 anos completos
desde a última utilização para amortização;
h) Parcelas do consórcio em atraso
i) Utilizado para pagamento do total da prestação.
j) Mais de 03 (três) prestações em atraso
Consórcio Nacional Gazin
Consórcio é uma reunião de pessoas físicas e/ou jurídicas, em grupo fechado, promovida pela administradora, com a finalidade de propiciar a seus integrantes a aquisição de bem, conjunto de bens ou serviço turístico por meio de autofinanciamento. Como o objetivo do consórcio é a aquisição de bens e serviço turístico, não é permitida a formação dos consórcios de dinheiro.
Porque a única maneira de comprar um bem com um alto valor agregado, sem pagar elevadas prestações e sem juros. Pois no consórcio temos um prazo maior, e com isso a prestação fica suave.
Isso mesmo, consórcio somente possui taxa de administração, que é uma taxa cobrada pela administradora, em troca do serviço prestado, para administrar o dinheiro do consorciado, e proporcionar a ele a realização de seu sonho.
Você poderá fazer uma simulação e efetivar sua compra através do próprio site. Poderá, também, solicitar informações em nosso site. Se preferir, visite uma de nossa unidade de lojas do Grupo Gazin ou revendas conveniadas.
Sim. Podem participar dos nossos grupos de consórcio Pessoas Físicas e Jurídicas.
Sim, antes de ser contemplado o cliente pode tanto aumentar como diminuir o valor do seu crédito, desde que seja dentro do mesmo Grupo que ele já participa.
Existem quatro maneiras de ser contemplado por:

Sorteio
Lance livre
Lance fixo
Lance embutido
Todos os meses as assembleias serão realizadas diretas pela administradora, ficando o vídeo disponível em nosso site. (porém para participar da assembléia todas as parcelas deverão ter sido pagas em dia até o vencimento).
O consorciado Gazin poderá ofertar um lance por meio da WEB ATENDIMENTO (cliente), através do site: www.consorciogazin.com.br, ou poderá fazê-lo através de qualquer Filial Gazin.
Todo consorciado poderá ofertar uma quantia em percentual como lance. Será vencedor a cota que ofertar o maior percentual (ficando condicionado ao saldo do grupo).
A partir da terceira assembleia do cliente uma contemplação será reservada para os lances limitados em 15% (ficando condicionado ao saldo do grupo).
É um lance que poderá ser ofertado somente a partir da 3º assembleia do cliente, e pode ser ofertado 15% da sua carta de crédito. O consorciado irá concorrer somente com clientes que ofertaram 15%.
O consorciado poderá contar com a utilização de até 15% do valor do crédito, mais a quantia que ele quiser do seu próprio bolso. A grande vantagem é que com essa modalidade o consorciado pode ofertar um lance maior, sendo assim mais competitivo. Esse lance pode ser ofertado somente a partir da 3º assembleia do cliente.
O Cliente tem acesso pelo nosso site na área destinada ao cliente, pela nossa central de relacionamento ou através de uma de nossas lojas ou representantes. Todos os meses os consorciados recebem um boleto para pagamento das parcelas, nele estará impresso o resultado da assembléia do mês anterior, em caso de contemplação o consorciado será comunicado via correspondência ou pela própria filial.
O cliente vai até uma de nossas lojas ou parceiros, onde receberá um Check-list constando a documentação necessária para a 1ª fase da análise de crédito e 2ª fase da análise do bem dado em garantia.
Sim, pois o Consórcio Gazin funciona como carta de crédito, o Cliente tem liberdade de escolher o que deseja e aonde quer comprar. Lembrando que o mesmo tem que ser do mesmo segmento, como: automotores, imóveis, eletro e móveis fazem parte do mesmo.
No momento da contemplação o cliente poderá retirar a motocicleta de sua escolha em qualquer concessionária. Se optar por comprar uma motocicleta usada poderá fazê-la, porém o limite de ano de uso para motocicletas é de 5 (cinco) anos. O cliente também poderá optar por comprar carro com a carta de crédito de moto.
Igualmente ao consórcio de motocicletas, o consórcio de automóveis permite ao cliente comprar o carro de sua escolha, porém o limite de ano de uso para aquisição de carro usado é de 10 (dez) anos. O cliente também poderá comprar motocicleta com carta de crédito de carro.
Sim. Você pode comprar qualquer veículo automotor de sua escolha: motos, automóveis ou caminhonetas. Esta regra vale também se sua cota for de uma moto. Apenas para créditos de eletroeletrônicos e serviços que são limitados suas compras à categoria.
Sim, antes de ser contemplado o clientes pode renegociar as suas parcelas, pagando o que está em aberto ou reparcelar para as demais.
Pode ser feito no abatimento do prazo ou na diluição do valor da parcela, essa escolha já é feita no cadastro do lance. Lembrando que o cliente tem que comprovar 3 vezes o valor da parcela na hora de analisar o crédito quando contemplado.
Sim. A antecipação amortizará parcelas na ordem inversa dos vencimentos, isto é, do final para o começo do plano. A antecipação não será considerada como lance, portanto a quitação antecipada não garante a contemplação.
Você poderá imprimir a 2.ª via do boleto bancário através da internet, informando seus dados da cota em “Área restrita – Clientes”, em uma de nossa unidade de lojas do Grupo Gazin ou revendas conveniadas, e também poderá ser solicitada através do telefone: 0800 644 8282.
Sim. Com este serviço as parcelas do Consórcio são descontadas automaticamente da sua conta corrente, no dia do vencimento. Disponíveis para os bancos HSBC, Brasil, Bradesco e Sicredi.
Sim. Procure a administradora, faremos um recálculo de seu saldo devedor, viabilizando a sua continuidade. Nosso interesse é que você chegue até o final e atinja seus objetivos.
Voltar ao Topo